Situação vacinal infantil e características individuais e familiares do interior de São Paulo - DOI: 10.4025/actascihealthsci.1077

Ana Cláudia Molina, Ilda de Godoy, Lídia Raquel de Carvalho, Antonio Luiz Caldas Júnior

Resumo


O estudo teve como objetivo descrever e analisar características individuais e familiares das crianças e características do serviço de saúde e suas relações com a situação vacinal para diferentes tipos de vacinas e doses. Utilizaram-se três fontes de informações: registros do Sistema Municipal de Informação em Saúde, carteira de vacinação e entrevista, mediante questionário fechado. As famílias entrevistadas estavam em fase de “maturação” de crescimento, com proles de um ou dois filhos; os cuidadores eram, na maioria, mães jovens, economicamente inativas e havia facilidade de acesso ao serviço de saúde. Cerca de 30% não receberam orientação sobre a vacina aplicada, reações e retorno da próxima vacina. Os maiores atrasos foram das vacinas contra o sarampo (6,3%) e o Haemophilus influenzae tipo B (4,2%). Observa-se que o motivo do atraso vacinal e a não-vacinação parecem estar mais relacionados a características do serviço do que às da população

Palavras-chave


cobertura vacinal; imunização; perda de oportunidade vacinal; sistema de informação em saúde; vacinação

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/actascihealthsci.v29i2.1077

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN 1679-9291 (impresso) e ISSN 1807-8648 (on-line) e-mail: actahealth@uem.br

  

Resultado de imagem para CC BY