Processo de cuidar de idosos com acidente vascular encefálico: sentimentos dos familiares envolvidos - DOI: 10.4025/actascihealthsci.v26i1.1614

Andréa Evangelista Lavinsky, Therezinha Teixeira Vieira

Resumo


Envelhecer deixou de ser um fenômeno exclusivo dos países desenvolvidos e tornou-se comum também aos países em desenvolvimento, exigindo da família conhecimentos e habilidades para prevenir ou minimizar os efeitos da velhice e de patologias como o AVE. Propomos como objetivos identificar os sentimentos dos familiares envolvidos no cuidar desses idosos e analisá-los à luz da Teoria das Representações Sociais. Estudo descritivo, qualitativo realizado nos domicílios de idosos com AVE, em Itabuna-Ba, de julho de 2000 a julho de 2001. Os dados coletados por meio de entrevista semiestruturada foram trabalhados a partir da análise de conteúdo proposta por Bardin. Os sujeitos apresentaram-se envolvidos em um misto de sentimentos que envolve retribuição, amor, satisfação, medo, tristeza, pena, culpa, angústia, insegurança, nervosismo e impaciência ao cuidarem de seus familiares idosos. Esperamos contribuir com a reflexão sobre o cuidar de idosos em domicílio e o engajamento da enfermagem na orientação e no preparo técnico do familiar para o cuidado domiciliar.

Palavras-chave


idosos; AVE; cuidar em domicílio; familiar cuidador; sentimentos

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/actascihealthsci.v26i1.1614

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN 1679-9291 (impresso) e ISSN 1807-8648 (on-line) e-mail: actahealth@uem.br

  

Resultado de imagem para CC BY