A experiência de famílias no convívio com a criança surda - DOI: 10.4025/actascihealthsci.v26i1.1658

Raquel Gusmão Oliveira, Marlene Aparecida Wischral Simionato, Maria Elizabeth Dumont Negrelli, Sonia Silva Marcon

Resumo


A família tem papel fundamental no desenvolvimento do indivíduo e na manutenção da saúde de seus membros. Nos estudos com famílias que convivem com a deficiência, o enfoque tem sido a etiologia e os métodos terapêuticos, em detrimento do conhecimento da dinâmica de funcionamento familiar. Objetivou-se conhecer aspectos da experiência de famílias, bem como identificar dificuldades e facilitadores da convivência com uma pessoa surda a partir da perspectiva da família. Realizou-se uma pesquisa exploratória descritiva com famílias de pessoas surdas que freqüentam a Anpacin (Associação Norte Paranaense de Áudio Comunicação Infantil), utilizando roteiro semiestruturado para a coleta dos dados e, para análise, a categorização. Por meio da aproximação das famílias, foi possível conhecer sua estrutura, seu conceito de família e as dificuldades do convívio com a surdez. A comunicação tem sido a maior dificuldade encontrada pelas famílias, mas a escola tem sido identificada como elemento facilitador do convívio da família com o surdo.

Palavras-chave


família; família e deficiência; criança surda

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/actascihealthsci.v26i1.1658

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN 1679-9291 (impresso) e ISSN 1807-8648 (on-line) e-mail: actahealth@uem.br

  

Resultado de imagem para CC BY