A influência do método mãe-canguru na recuperação do recém-nascido em Unidade de Terapia Intensiva Neonatal: uma revisão de literatura - DOI: 10.4025/actascihealthsci.v25i1.2250

Loide Ferreira, Cláudia Silveira Vieira

Resumo


A separação da mãe e recém-nascido (RN) logo após o parto, decorrente da hospitalização, influencia na continuidade da formação do apego, podendo afetar RN e/ou sua mãe. Com isso, buscou-se, a partir do método mãe-canguru, identificar a influência deste na relação mãe-filho internado em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal; conhecer como ocorre a formação do apego, mediante a utilização do método, e como o apego pode influenciar no prognóstico do RN internado e na atitude da mãe frente à hospitalização foram os objetivos. A pesquisa foi de cunho bibliográfico, realizada uma revisão no período de 1983 a 2002. Procurou-se observar a eficácia do método como facilitador do apego, promovendo um melhor prognóstico do RN internado e aumento da confiança e adaptação materna diante da situação. A indissolubilidade da relação de apego entre mãe e filho é de grande importância e as intervenções de enfermagem devem visar amenizar a separação da díade, prevenindo seqüelas imediatas e futuras para os envolvidos.

Palavras-chave


mãe-canguru; apego; recém-nascido; vínculo afetivo; UTI neonatal

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/actascihealthsci.v25i1.2250

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN 1679-9291 (impresso) e ISSN 1807-8648 (on-line) e-mail: actahealth@uem.br

  

Resultado de imagem para CC BY