A família do paciente internado em terapia intensiva: concepções do enfermeiro

Adriana Katia Corrêa, Catarina Aparecida Sales, Luciana Soares

Resumo


Esta é uma investigação sobre as concepções do enfermeiro em relação à família do paciente internado na unidade de terapia intensiva. A estratégia metodológica que conduziu o estudo está fundamentada na abordagem fenomenológica. Da análise dos discursos observamos que, em relação à família do paciente, o pensar dos enfermeiros configura-se nas seguintes categorias: a família experiencia medo, ansiedade e insegurança e a família é preocupada com o paciente. Em relação ao lidar com a família, os sujeitos manifestaram suas percepções emergindo as seguintes categorias: o enfermeiro percebe que é difícil lidar com a família; o enfermeiro busca colocar em prática algumas ações que a seu ver ajudariam a família; o contato com a família pode mobilizar emoções agradáveis, bem como facilitar a assistência prestada ao paciente em terapia intensiva. Ao desvelarmos os significados expressados pelos sujeitos, apreendemos que os enfermeiros percebem o sofrimento da família e, ao mesmo tempo, as próprias dificuldades em lidar com ele, o que denota ser importante repensar a relação enfermeiro-família e suas implicações na assistência ao paciente grave

Palavras-chave


abordagem fenomenológica; paciente crítico; família; assistência de enfermagem

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/actascihealthsci.v24i0.2543

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN 1679-9291 (impresso) e ISSN 1807-8648 (on-line) e-mail: actahealth@uem.br

  

Resultado de imagem para CC BY