Saúde ocupacional: controle médico e riscos ambientais - DOI: 10.4025/actascihealthsci.v30i1.4384

Helena Hemiko Iwamoto, Karoline Faria de Oliveira, Gilberto de Araújo Pereira, Bibiane Dias Miranda Parreira, Bethania Ferreira Goulart

Resumo


O Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO), da Universidade Federal do Triângulo Mineiro, tem como diretrizes a prevenção, o rastreamento e o diagnóstico precoce dos agravos à saúde relacionados ao trabalho. O objetivo deste estudo é descrever a adesão dos trabalhadores ao Programa, segundo riscos ambientais. Trata-se de um estudo retrospectivo e do tipo ecológico, utilizando-se dados secundários dos registros do PCMSO. Nos anos de 2005 e 2006, foram convocados 3.078 trabalhadores, entretanto, destes, 52,05% não compareceram para o controle médico. O maior percentual de trabalhadores que não compareceram foram com risco físico e biológico (56,78%). O fato de o PCMSO estabelecer os riscos ambientais para cada trabalhador e convocá-los periodicamente não indica, necessariamente, adesão ao Programa. É preciso estabelecer mecanismos mais convincentes de aproximação entre o trabalhador e o Programa, na perspectiva de contribuir para a qualidade de vida no trabalho.

Palavras-chave


exposição ambiental; impactos na saúde; qualidade de vida; riscos ambientais; saúde ocupacional; serviços de saúde do trabalhador

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/actascihealthsci.v30i1.4384

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN 1679-9291 (impresso) e ISSN 1807-8648 (on-line) e-mail: actahealth@uem.br

  

Resultado de imagem para CC BY