Situação de mendicância, trabalho precoce e prostituição infantil envolvendo crianças e adolescentes em Londrina, Estado do Paraná - 2006 - DOI: 10.4025/actascihealthsci.v31i1.5738

Christine Baccarat de Godoy Martins, Maria Helena Prado de Mello Jorge

Resumo


Nas últimas décadas, a importância da infância e adolescência e a necessidade de proteção deste grupo têm mobilizado sociedades no sentido de notificarem aos órgãos competentes situações de risco em que figuram crianças e adolescentes. A pesquisa, de natureza descritiva, objetivou estudar as circunstâncias da mendicância, trabalho e prostituição infantil envolvendo menores de 15 anos residentes em Londrina, Estado do Paraná, notificadas aos Conselhos Tutelares, em 2006. Os dados foram coletados nos prontuários dos Conselhos Tutelares, utilizando-se formulário com questões fechadas, e analisados pelo programa Epi Info. Foram estudados 27 casos, 55,6% de meninas e 44,4% de meninos, com idades de 11 anos para os meninos (33,3%) e oito anos para as meninas (26,7%). Os principais agressores foram a mãe (37,0%) e o pai (37,0%), com idade predominante de 30 a 34 anos para os homens (58,3%) e de 20 a 24 para as mulheres (40,0%). Entre os meninos, destacou-se trabalho infantil (58,3%) e mendicância (41,7%). Entre as meninas, mendicância (53,3%), prostituição (33,3%) e trabalho infantil (13,3%). É preciso ressaltar a necessidade de que a sociedade como um todo combata esses tipos de violência tão desastrosos para a criança e o adolescente. Deve ser prioritária a participação de todos os segmentos sociais, instâncias executivas e legislativas a fim de formular, acompanhar e avaliar políticas voltadas para a redução do trabalho infantil, da problemática das crianças de rua e, principalmente, da exploração sexual de crianças e adolescentes.

Palavras-chave


criança; adolescente; trabalho infantil; prostituição; maus-tratos infantis

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/actascihealthsci.v31i1.5738

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN 1679-9291 (impresso) e ISSN 1807-8648 (on-line) e-mail: actahealth@uem.br

  

Resultado de imagem para CC BY