A hidroquímica do Rio Paraná após a barragem de Porto Primavera - doi: 10.4025/bolgeogr.v28i2.10369

Edvard Elias de Souza Filho, Kenia Zanetti, José Paulo Peccinini Pinese, Valmir de França

Resumo


A barragem de Porto Primavera, concluída ao final de 1998, introduziu um conjunto de modificações na parte jusante do sistema canal-planície do rio Paraná. Este trabalho tem como objetivo avaliar as modificações hidroquímicas ocorridas após a conclusão da barragem. Para isso foram levantados os dados bibliográficos a respeito de características físicas e químicas das águas do rio Paraná, do rio Baía e de lagoas associadas a ambos os cursos de água. Os dados obtidos foram analisados considerando-se o período anterior e posterior à conclusão do empreendimento, levando-se em conta as informações comuns a ambos os intervalos de tempo. Os resultados mostraram que o reservatório provocou aumento da temperatura e da concentração de potássio das águas, e diminuiu seu pH e a concentração de fósforo total. As cheias passaram a ter papel de agente diluidor de um conjunto de elementos (fósforo, magnésio, cálcio, manganês, ferro, zinco, chumbo, cádmio, alumínio, bário, cobalto e cobre) e de enriquecedor de potássio e sódio


Palavras-chave


hidroquímica, impacto de barragem; UHE Porto Primavera; rio Paraná

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/bolgeogr.v28i2.10369



ISSN 2176-4786 (on-line) e-mail: dge-boletim@uem.br