Avaliação do ARCMUSLE para estimativa da produção de sedimentos na bacia hidrográfica do alto rio Negro, região sul brasileira - doi: 10.4025/bolgeogr.v31i2.13367

Gilson Bauer Schultz, Cesar Augusto Crovador Siefert, Irani dos Santos

Resumo


A erosão hídrica é um dos principais processos causadores de degradação do solo em ambientes tropicais. Este processo ocorre a partir da interação entre fatores hidrológicos, geomorfológicos e pedológicos, causando a desagregação e transporte de partículas. A partir do entendimento do processo torna-se viável a aplicação de modelos matemáticos para estimar a produção de sedimentos em bacias hidrográficas. Este trabalho teve como objetivo principal aplicar a Modified Universal Soil Loss Equation (MUSLE) para simular um evento de precipitação e avaliar o ajuste da simulação aos dados de transporte total de sedimentos medidos. A MUSLE é um modelo determinístico, empírico e originalmente concentrado, formulado a partir da substituição do fator erosividade da chuva por um fator de escoamento superficial que permite simular a produção de sedimentos em eventos isolados de precipitação. Além dos efeitos do escoamento, o modelo considera os fatores de erodibilidade do solo (K), comprimento de rampa e declividade (LS), uso e manejo do solo (P) e práticas conservacionistas (C) para realização da simulação. Foi utilizado o modelo ArcMUSLE integrado a um Sistema de Informações Geográficas (SIG) que permite estimar, de forma totalizada para eventos isolados, o escoamento superficial e a produção de sedimentos de forma espacialmente distribuída. O modelo foi aplicado na bacia hidrográfica do Alto Rio Negro, localizada entre as coordenadas 25°55’S e 26°14’S, 48°56’W e 49°23’W, com área de drenagem de 788 km². Para o evento simulado, com precipitação total de 60mm, os resultados demonstraram que o modelo superestimou tanto o volume total de escoamento superficial como o transporte total de sedimentos. Apesar de o modelo superestimar a geração de escoamento superficial e produção de sedimentos em relação aos dados observados em 8,81% e 30,02%, respectivamente, os resultados permitiram verificar a variabilidade espacial do fenômeno e localizar áreas onde ocorre maior produção de sedimento na bacia hidrográfica.

Palavras-chave


Produção de sedimentos; ArcMUSLE; Modelagem distribuída

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/bolgeogr.v31i2.13367



ISSN 2176-4786 (on-line) e-mail: dge-boletim@uem.br