PERFIL DOS AGRICULTORES FAMILIARES EXTRATIVISTAS DA REGIÃO SUDOESTE MATOGROSSENSE, PERTENCENTE À BACIA DO ALTO PARAGUAI - BRASIL

Maurício Ferreira Mendes, Sandra Mara Alves da Silva Neves, João dos Santos Vila da Silva, Ronaldo José Neves, Tania Paula da Silva

Resumo


A agricultura familiar é relevante para a agricultura brasileira, pois disponibiliza parte significante dos alimentos aos brasileiros. Este trabalho tem como objetivo, traçar o perfil dos agricultores familiares que desenvolvem atividade extrativista na região sudoeste de Mato Grosso, contida na bacia do Alto Paraguai, na perspectiva que as informações subsidiem a proposição de políticas públicas que favoreçam a valorização destes no processo de desenvolvimento regional. Foram identificadas trinta agricultoras extrativistas, distribuídas nos assentamentos: a) Bom Jardim/Furna São José, b) Corixo e, c) Margarida Alves, o que encaminhou a definição do universo de pesquisa a corresponder a 100%. No período de março a junho de 2012 foram coletadas informações através de entrevistas dirigidas por roteiros semiestruturados. Constatou-se que 30% das agricultoras extrativistas são de origem matogrossense, possuindo idade entre 36 a 55 anos, e deste grupo 10% são analfabetas, fato preocupante, pois 76,66% delas estão em idade produtiva. Ocorre em vinte e oito unidades produtivas (lotes), diversificação das atividades produtivas, e em duas unidades pratica- se exclusivamente o sistema extrativista de produção. A pesquisa evidencia que, apesar da falta de políticas públicas que fortaleçam a agricultura familiar, as famílias têm conseguido permanecer e sobreviver na terra conquistada. 

 


Palavras-chave


Biodiversidade. Extrativismo. Gênero. Pequena produção. Renda.

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/bolgeogr.v32i3.21219



ISSN 2176-4786 (on-line) e-mail: dge-boletim@uem.br