O PAPEL DA BACIA DO RIO DOCE NA CONFIGURAÇÃO GEOMORFOLÓGICA DO QUADRILÁTERO FERRÍFERO/MG

Luiz Fernando de Paula Barros, Antônio Pereira Magalhães Junior

Resumo


O Quadrilátero Ferrífero é um dos mais marcantes conjuntos serranos do estado de Minas Gerais, sudeste do Brasil. A evolução do modelado regional durante o Cenozoico Superior revela um papel preponderante do trabalho fluvial. Assim, visando aprofundar a compreensão da geomorfologia regional, diversos levantamentos de níveis e sucessões deposicionais fluviais foram empreendidos na área nas últimas décadas. Entretanto, faltam estudos mais regionalizados, que analisem mais de um vale fluvial. A partir de novos dados de níveis e sucessões deposicionais fluviais e da releitura em campo da literatura sobre o tema na área de estudo, este trabalho discute o quadro de níveis e sucessões deposicionais fluviais da alta bacia do Rio Doce, que compreende a drenagem da porção leste e parte da porção sul do Quadrilátero Ferrífero. Desse modo, objetiva-se dar um primeiro passo para a compreensão dos eventos geomorfogenéticos responsáveis pela esculturação do relevo no Quadrilátero Ferrífero. Os resultados revelam um relevo dinâmico, sensível às forças tectônicas e variações climáticas do Quaternário Superior. Os níveis deposicionais fluviais foram datados entre 2-140 Ka por Luminescência Opticamente Estimulada (LOE), permitindo a releitura de dados anteriores. A maioria desses níveis é do tipo escalonado e pareado e, portanto, configuram-se como importantes marcadores dos ritmos da tectônica quaternária na região. As datações por LOE permitem a associação de diferentes níveis fluviais com oscilações climáticas, que transformaram em espessas couraças ferruginosas as sucessões fluviais depositadas sob um clima mais seco/frio.

Palavras-chave


Geomorfologia regional. Luminescência opticamente estimulada. Quaternário.

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/bolgeogr.v37i1.36117



ISSN 2176-4786 (on-line) e-mail: dge-boletim@uem.br