CIDADES PEQUENAS NA FRONTEIRA: OS CASOS DE CARACOL E BELA VISTA, NO MATO GROSSO DO SUL, BRASIL

Orlando Moreira Junior

Resumo


Este artigo apresenta algumas considerações sobre a configuração intra-urbana associada à dinâmica sócio-demográfica, econômica e de organização do espaço de cidades pequenas localizadas em uma região fronteiriça, tendo como referencial empírico as cidades de Caracol e Bela Vista, no estado de Mato Grosso do Sul, Brasil. Ambas fazem fronteira com o Paraguai. A cidade de Caracol é analisada a partir do isolamento territorial, cujo núcleo urbano localiza-se distante de outras cidades, caracterizado pelo entorno rural e pelas ruralidades. Em contrapartida, Bela Vista possui uma dinâmica urbana diferenciada, marcada pela conurbação internacional com a cidade de Bella Vista Norte no Paraguai. O fato de se tratar de uma cidade gêmea traz consigo algumas problemáticas que envolvem questões de segurança e ilegalidade, bem como atuação do Estado para defender a soberania nacional. Deste modo, pretende-se apresentar um estudo sobre cidades pequenas ante o cenário regional fronteiriço, visto que a dinâmica espacial, demográfica e as relações socioeconômicas possuem interações diferenciadas que ajudam a compreender os papéis e significados urbanos por elas assumidos, bem como as especificidades da dinâmica interna de seus espaços.


Palavras-chave


Cidades pequenas. Fronteira. Cidade gêmea.

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/bolgeogr.v36i3.36394



ISSN 2176-4786 (on-line) e-mail: dge-boletim@uem.br