ENERGIA E SUSTENTABILIDADE: ANÁLISE DA VIABILIDADE DO CULTIVO DE DENDÊ PARA O DESENVOLVIMENTO REGIONAL ENDÓGENO DA AMAZÔNIA

Julyana Pereira Simas, Cláudio Luis Camargo Penteado

Resumo


O aproveitamento de áreas desmatadas a partir de atividades agrícolas tem ganhado destaque na tentativa de conciliar a conservação ambiental da região amazônica e o desenvolvimento local, uma vez que, ao proporcionar novos usos para o solo, a atividade proporciona a preservação de áreas nativas e reduz os impactos negativos, decorrentes do desmatamento. Além dos potenciais benefícios ambientais, a consolidação da agricultura, principalmente em bases familiares, representa uma grande oportunidade social. É o caso do dendê, cujo cultivo apresenta potencial para o aproveitamento de áreas já desmatadas da Amazônia, além de poder inserir pequenos agricultores na cadeia produtiva, o que representaria uma importante oportunidade para a produção de biodiesel. Entretanto, o avanço da produção pode gerar impactos ambientais negativos, sobretudo, em relação ao desmatamento. Além dos riscos ambientais, é preciso analisar, inclusive, se a produção de dendê busca valorizar a cultura e atender as necessidades da população local. Esses fatores são importantes por garantir o desenvolvimento endógeno da região, cujo desafio principal consiste em preservar os costumes e as riquezas naturais. Dessa forma, o objetivo do presente artigo consiste em investigar qual a viabilidade do dendê para a promoção do desenvolvimento regional endógeno da Amazônia. Como metodologia, foi realizado um estudo de caso em unidades produtivas no município de Tomé-Açu, no estado do Pará, a partir de observações e entrevistas com os principais atores envolvidos.

Palavras-chave


Desenvolvimento regional. Amazônia. Dendê.

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/bolgeogr.v37i1.39256



ISSN 2176-4786 (on-line) e-mail: dge-boletim@uem.br